5Criando o novo com as mesmas velhas palavrasA infância, a escola e os adultos author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

Colóquio do LEPSI IP/FE-USP
Psicanálise, infância e educação

On-line ISBN 978-85-60944-06-4

Abstract

LIER-DEVITTO, Maria Francisca. Linguagem-criança e instituições.. In: COLOQUIO DO LEPSI IP/FE-USP, 5., 2004, São Paulo. Proceedings online... Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032004000100002&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 24 May. 2024.

Neste trabalho, proponho-me a apresentar uma releitura da assunção cristalizada de que "linguagem é instituição social". Parto do Curso de Lingüística Geral (CLG), precisamente do momento em que, ao definir o primeiro objeto da lingüística, Saussure diz, de fato, ser ele "uma instituição social" (1916:17). Tal afirmação é confrontada com tecido argumentativo do próprio Curso e embalada, também, por comentários de autores que empreenderam, no final do século XX, um "retorno a Saussure". Saussure cria um "objeto teórico" que, como tal, não pertence nem à natureza, nem à cultura, i.e., cria uma "ordem própria" a que será atribuída, mais tarde, por Lacan, força de determinação da subjetividade. Saussure produz um desvio que permitirá refletir sobre a criança em seu percurso de falante: se humano, o ser terá que se haver com a linguagem e trilhar nela e, por força dessa relação, caminhos menos (ou mais) tortuosos como sujeito e como falante.

        · abstract in english     · text in portuguese