6Psicomotricidade e aquisição de leitura e escritaEscrita do inconsciente: do oral às possibilidades de alfabetização author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

Psicanálise, Educação e Transmissão


On-line ISBN 978-85-60944-08-8

Abstract

MATTHIESEN, Sara Quenzer. Entre as frustrações (des)necessárias e o laissez-faire: contribuições reichianas para a educação física na escola.. In: PSICANALISE, EDUCACAO E TRANSMISSAO, 6., 2006, São Paulo. Proceedings online... Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032006000100065&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 15 June. 2024.

Embora ainda pouco difundidas, são muitas as contribuições de Wilhelm Reich para a Educação Física. Entre outras coisas, Reich nos brinda - e aqui nos referimos ao seu "período psicanalítico" -, com questões que merecem ser explicitadas neste artigo já que nos darão sustentação para uma reflexão que, em última análise, visa apreender formas, nem sempre benignas, de educação daquele que - supostamente - educamos como profissionais dessa área. "Como se deve educar as crianças?", perguntava-se Reich em 1926. Pensando em nossa realidade de trabalho profissional tantos anos depois, perguntaríamos: o que pretende o profissional de Educação Física diante 30 ou 40 crianças na quadra esportiva? Qual sua intervenção possível? Reprodução pura e simples de gestos esportivos repletos de técnicas e ângulos precisos? Controle da turma, das crianças, de seus corpos? Qual o olhar deste professor sobre o corpo de seus alunos? Ao mesmo tempo que tais dúvidas se colocam, é comum ouvirmos no universo das aulas de Educação Física frases pretensamente educativas cujos efeitos, sobre a criança não tardam a se manifestar: "pare quieta"; "comporte-se", "endireite as costas"; "peito para fora, barriga para dentro" entre outras. Sob a égide de "frustrações desnecessárias", próprias de um verdadeiro "bombardeio educativo", a criança atende ao aclamado pelo professor. Ela pára, não se move, na verdade, fica quase congelada, imobilizando-se para o não-movimento, cujas conseqüências foram tão bem apontadas por Reich neste e em períodos posteriores de sua obra. Por outro lado, no real sentido do "laissez-faire", não é difícil observarmos a bola rolando solta, na maioria das vezes, sem qualquer intervenção por parte do professor. Com base nestas considerações, procuraremos refletir sobre a atualidade e as possibilidades do ensino da Educação Física no âmbito escolar, pautando-nos, para tanto, em contribuições reichianas do "período psicanalítico", as quais merecem ser conhecidas.

Keywords : Wilhelm Reich; Psicanálise; Educação Física.

        · text in portuguese