6Uma proposta de transmissão da psicanálise no campo educacionalO registro imaginário, a demanda médica e as primeiras entrevistas na clínica psicanalítica com criança author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

Psicanálise, Educação e Transmissão


On-line ISBN 978-85-60944-08-8

Abstract

SCHORN, Solange Castro. A escolarização de crianças psicóticas: limites e possibilidades.. In: PSICANALISE, EDUCACAO E TRANSMISSAO, 6., 2006, São Paulo. Proceedings online... Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032006000100068&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 15 June. 2024.

Partindo do relato de uma experiência de trabalho integrado com a Educação Especial, no serviço público de saúde e ancorada por questões de quem está se defrontando no dia a dia com os impasses, impossibilidades e pequenas brechas que a psicose apresenta, este estudo propõe uma reflexão e teorização sobre as condições de aprendizagem da criança psicótica, buscando entender os limites e possibilidades que se colocam no processo de escolarização desses sujeitos. Discute-se, então, a problemática da inserção escolar, considerando os seus efeitos tanto para a criança psicótica quanto para os demais alunos e membros da escola. No seu percurso, o texto situa a evolução do conceito da infância e a forma como o processo de escolarização, enquanto aparato normalizador e inclusivo da sociedade, torna-se importante para a criança independente de suas patologias. Demonstra-se, ainda, a evolução da noção de doença mental e seus desdobramentos para chegar às diversas visões teóricas no campo da medicina e da psicanálise a respeito da psicose na infância. Entre estas, as concepções da escola francesa (freudo-lacaniana) são tomadas como fundamento da pesquisa em questão, sendo colocadas de forma mais aprofundada as bases conceituais para a discussão que se desenvolve na seqüência do trabalho. A partir de uma compreensão estrutural da psicose, vincula-se a possibilidade de aprendizagem da criança psicótica à produção de metáforas não paternas. As condições dessa criança de produzir essas metáforas dirão, também, dos limites e possibilidades para aprender. Assim, problematiza-se a questão contemporânea da inclusão, apontando para saídas possíveis na abordagem da psicose, tratada por equipes que têm um caráter interdisciplinar e que constituem um somatório de esforços no sentido de tomar a criança psicótica na dimensão do enigma que propõe e não como objeto a ser adaptado ao sistema escolar.

Keywords : escolarização; criança psicótica; aprendizagem; psicanálise.

        · text in portuguese