1Ciudad educadora: un desafío político participativo author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

I Congresso Internacional de Pedagogia Social



Abstract

MILNITSKY-SAPIRO, Clary. A função da escola na construção de valores sócio morais: os temas transversais na cultura da descartabilidade.. In: I CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA SOCIAL, 1., 2006, . Proceedings online... Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000092006000100008&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 25 May. 2024.

Para se falar em construção de Paz a partir de um olhar acadêmico, é pertinente, se não fundamental, que lembremos de Paulo Freire quando define o lugar da educação formal. Enquanto categoria abstrata, as instituições não existem como boas ou más, portanto, a escola como uma instituição per se, não existe. A escola existe enquanto ocupa um espaço social no qual a educação formal ocorre. Então, a escola (e a Universidade) não pode ser definida como uma instituição que é, mas como uma instituição que está sendo historicamente, num contexto específico, em uma sociedade específica. A teoria pedagógico-filosófica de Freire contempla aspectos sócio-psicológicos pelo seu caráter desenvolvimentista-construtivista, pois vê a escola como o lugar para a construção do conhecimento através do raciocínio crítico a fim de instrumentalizar os indivíduos para que alcancem a autonomia e respondam aos desafios do ambiente, superando e humanizando a realidade enquanto sujeitos de seu conhecimento. O caráter universalista da filosofia de Freire reside na ação humana enquanto crítica e libertadora. Todo ser humano deve ter direito à compreensão profunda do verbo, da palavra - deve ter o direito de ir muito além da reprodução. A teoria psicológica associada a essa filosofia aponta que estruturas sócio-cognitivas são construídas pelo sujeito a partir da sua experiência social e propiciam a formação de conceitos relativos às prerrogativas pessoais, às convenções sociais e aos princípios morais de justiça. Sob esse prisma, buscamos investigar a realidade a partir de ações e dos discursos dos próprios agentes, para não somente produzir um conhecimento teórico, mas participar da construção permanente de um projeto social maior, no qual, o conhecimento acadêmico deve instrumentalizar e melhorar o cotidiano. Em relação à violência, uma construção crítica do conhecimento impõe que não ignoremos a realidade e a multiplicidade dos fatores socioculturais que levam grupos e indivíduos a se comportarem de forma violenta.

Keywords : infância; adolescência; valores sóciomorais; contemporaneidade.

        · text in portuguese