7Considerações sobre o impacto de um treinamento a distância na qualidade de vida percebida por funcionários do setor bancárioUma creche em que, as cuidadoras de crianças também requerem cuidados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de trabalhos
Home Pagelista alfabética de eventos  

Seminário de Saúde do Trabalhador de Franca


ISBN 978-85-62480-96-6 versão impressa

Resumo

PINTO, Cláudio Vieira. Trabalho e educação: um debate acerca do cinema de animação nas escolas. In Anais do 1º... Seminário de Saúde do Trabalhador de Franca, 2010, Franca (SP, Brasil) [online]. 2010 [citado 10 Agosto 2020]. Disponível em: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000112010000100031&lng=pt&nrm=iso> .

O presente artigo procura  discutir as relações existentes entre a indústria cultural, o cinema e as obras de animação enquanto elementos de lazer na sociedade atual e do seu uso como possível recurso didático escolar. Esta discussão perpassa as mudanças que marcam o capitalismo, no momento atual, e que influenciam a educação e a formação de crianças e jovens. Por outro lado, há de se considerar o potencial educacional do cinema de animação (desenhos animados), o qual pode ser explorado no processo ensino-aprendizado quando o Professor ou um articulador consegue fazer o uso pedagógico dessa ferramenta indo muito além do conteúdo ilustrativo de imagens e cores, das fantasias das fábulas infantis ou do mero apoio didático aos planos de ensino/aula e projetos pedagógicos escolares. Cabe ainda pensar/discutir neste artigo se a adoção e o uso deste recurso está relacionado ao que se pretende/deseja do sujeito-receptor como ser humano, como individualidade de classe;  o que se quer da educação escolar no contexto problemático e crítico do mundo do trabalho do capital, do mercado de trabalho e da publicidade; ou apenas reifica a ideologia dominante que influencia as mentes da maioria das crianças e jovens. Finaliza apresentando dicas pedagógicas aos educadores que desejarem fazer uso do cinema como prática educativa, de análise de realidade e, portanto,  de superação dos modelos formativos tradicionais e a partir da práxis abrir caminhos possíveis que conduzam a ações experimentais de emancipação humana.

Palavras-chave : Literatura infantil; Cinema de animação; Indústria Cultural; Educação escolar; Pós Modernidade.

        · texto em português     · pdf em português