3, v.2Revisão judicial e seu impacto na política externa brasileira pós-1988: o STF é um novo ator em política externa?Trauma e crise de significados na articulação de identidades coletivas na política internacional author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

3° Encontro Nacional ABRI 2011


Print ISBN 2236-7381

Abstract

RESENDE, Erica Simone Almeida. O discurso autonomista vs o discurso institucionalista pragmático da política externa brasileira sobre o Mercosul. In Proceedings of the 3rd ENABRI 2011 3° Encontro Nacional ABRI 2011, 2011, São Paulo (SP, Brazil) [online]. 2011 [cited 16 January 2022]. Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000122011000200002&lng=en&nrm=iso> .

As visões concorrentes sobre a importância do projeto mercosulino para a política externa brasileira tornaram-se mais agudas devido à chamada crise de paradigma na política externa brasileira, acentuada após a chegada de Collor de Mello à presidência. Ao invés da articulação e surgimento de uma nova orientação para a política externa brasileira, percebeu-se uma divisão em dois grupos com visões distintas: institucionalistas pragmáticos e autonomistas. As diferenças entre os dois grupos tornaram-se mais explícitas em momentos de aguda divergência entre os membros do Mercosul, mais especificamente quando os interesses nacionais de cada membro entram em conflito direto, gerando as chamadas "crises" pontuais no processo de integração regional sul-americana: as divergências entre Brasil e Argentina durante a criação da Tarifa Externa Comum (TEC) em 1994, a tentativa de golpe no Paraguai, em abril de 1996; que motivou a inclusão da cláusula democrática no Mercosul, formalizada pelo Protocolo de Ushuaia; a explosão da crise econômica argentina de 1999; as divergências em torno das negociações para a implementação do projeto da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), em 2002-2003; as reações contraditórias à solicitação formal, por parte da Venezuela, para aderir ao bloco, em 2005; a nacionalização do setor de gás na Bolívia, em 2006; e as disputa entre Uruguai e Argentina durante a chamada "guerra das papeleiras", em 2007. O objetivo desta comunicação é apresentar a macro-hipótese de nossa pesquisa e a problemática que permeia o debate sobre os múltiplos sentidos do conceito de autonomia, identificando como eles se distinguem entre si.

Keywords : Política Externa Brasileira; Mercosul; Discursos; Autonomia.

        · text in portuguese     · pdf in portuguese