3, v.2A Rodada Doha e a ineficiência do multilateralismo comercial: impactos domésticos no MercosulDo escudo anti-mísseis à contingência ambiental: a importância do complexo industrial militar na grande estratégia norte-americana no Pós-Guerra Fria author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

3° Encontro Nacional ABRI 2011


Print ISBN 2236-7381

Abstract

FURTADO, Henrique Tavares and SANDERSON, Saymon. Os custos da projeção de poder. In Proceedings of the 3rd ENABRI 2011 3° Encontro Nacional ABRI 2011, 2011, São Paulo (SP, Brazil) [online]. 2011 [cited 16 January 2022]. Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000122011000200025&lng=en&nrm=iso> .

O Conflito do Atlântico Sul de 1982, foi um marco para os estudos da teoria do realismo ofensivo de Mearsheimer sobre "O Poder parador das Águas". O distanciamento desproporcional entre os dois países beligerantes - Argentina e Reino Unido - fez com que os britânicos despendessem de muito mais esforços logísticos do que seus rivais Argentinos. Mensurando os esforços logísticos necessários para tornar o conflito exeqüível, verifica - se que, grandes extensões de águas foram um fator impeditivo, de aumento significativo dos custos, para transpor forças e suprimentos para alem mar. O propósito desse trabalho reside em fortalecer o conceito de poder parador das águas - os custos da projeção de poder por sobre grandes extensões de águas - frente a necessidade de uso de um complexo arcabouço logístico. Através deste condicionamento, objetiva-se mostrar o quão custoso pode ser a "projeção de poder" de determinado Estado. Ademais, é feita uma análise acerca da característica do "Poder Parador das Águas" enquanto dualidade pré-condição/impedimento às pretensões hegemônicas de um país.

Keywords : Poder Parador das Águas; Malvinas; Falklands; Relações Internacionais; Realismo Ofensivo.

        · text in portuguese     · pdf in portuguese