3, v.3Mercosul: custos e benefícios de diferentes acordos comerciaisOs esforços da sociedade internacional no combate ao terrorismo author indexsubject indexsearch form
Home Pagealphabetic event listing  

3° Encontro Nacional ABRI 2011


Print ISBN 2236-7381

Abstract

FARES, Seme Taleb. Antiamericanismo e política externa: o caso do Brasil sob o paradigma desenvolvimentista.. In: 3° ENCONTRO NACIONAL ABRI 2011, 3., 2011, São Paulo. Proceedings online... Associação Brasileira de Relações Internacionais Instituto de Relações Internacionais - USP, Available from: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000122011000300045&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 16 Oct. 2019.

O conceito de antiamericanismo varia tanto em relação a países e regiões como a períodos históricos. O antiamericanismo no Brasil ao longo do paradigma desenvolvimentista (1930-1989) é mais bem explicado pelos próprios princípios da política externa brasileira, quais sejam, busca do desenvolvimento econômico do país, maior grau de autonomia e de inversões de capitais estrangeiros. Ainda que envolva uma variedade de comportamentos, o fator que mais relação e impacto possui para a condução da política externa brasileira se fundamenta mais numa reação de desconfiança dos Estados Unidos (do tipo "me mostre que você está certo") como ameaçadores em potencial dos interesses e da autonomia nacionais e menos uma atitude basicamente preconceituosa (antiamericanismo do tipo mais agudo, em que há uma profunda inclinação a atribuir ações e motivos negativos aos Estados Unidos em qualquer situação, sem se preocupar em analisar as especificidades da ocasião ou dos atores envolvidos, fechado, portanto, a informações positivas sobre as ações norte-americanas). O antiamericanismo do tipo preconceituoso poderia obstaculizar qualquer tipo de aproximação com os Estados Unidos, ainda que essa aproximação significasse vantagens para o Brasil. O antiamericanismo predominante no caso brasileiro, por outro lado, trouxe dividendos para o país justamente por representar uma defesa de seus princípios eleitos como nucleares para a busca do interesse nacional. Para demonstrar isso, este estudo procura cotejar as principais linhas disponibilizadas pela historiografia da política externa brasileira ao longo do paradigma desenvolvimentista frente aos conceitos apresentados acerca do antiamericanismo, indicando, também, que o grande estoque de argumentos antiamericanos presente na sociedade brasileira facilitou a sua institucionalização. Legitimado pela sociedade, o Brasil adotou atitudes antiamericanas como defesa natural de seus interesses.

Keywords : Política Externa Brasileira; Antiamericanismo; Paradigma Desenvolvimentista; Brasil.

        · text in portuguese     · pdf in portuguese